Vinhos Italianos – Qual é o seu preferido?

Quem visita a Itália, amante ou principiante de vinho, terá a oportunidade de entrar em contato com este mundo por vezes complexo e ligado ao luxo, mas que na verdade é mais democrático do que você possa imaginar! Se você está iniciando na arte de Baco, jogue-se nos chamados vinhos de mesa ou nos vinhos “fáceis de beber”, como Prosecco e o Lambrusco. Se você já é um apreciador de longa data, poderá degustar as mais procuradas etiquetas de Brunello e Barolo!

Mapa vinhos da Itália

Desde que cheguei à Itália o meu interesse sobre os vinhos aumentou, tanto que iniciei o percurso de formação em Sommelier pela Fisar (Federazione Italiana di Sommelier ed Albergatori). Sem dúvida este é um mundo muito vasto e fascinante que mistura ciência e arte. Quanto mais se estuda, mais descobrimos que temos tanto à aprender! Para quem está chegando agora na Itália, fiz uma seleção dos vinhos italianos mais famosos ou importantes que vocês encontrarão aqui. Lembre-se que a regionalização é muito evidente e que a Carta de Vinhos de um restaurante geralmente privilegia os vinhos produzidos na região que ele se encontra, então, a minha sugestão é de sempre escolher o vinho local. Com certeza será também a melhor escolha de harmonização com o prato típico que escolher! 😉

Brunello di Montalcino DOCG

Vinho tinto produzido com 100% uva Sangiovese grosso em Montalcino, cidade a cerca de 40 Km ao sul Siena, na Toscana. Pode ser colocado em comércio somente após 5 anos da colheita (6 anos para o Reserva), dos quais passa ao menos 2 anos em carvalho e 4 meses em garrafa. É um vinho ideal para o envelhecimento que, se conservado em condições ideais, pode ser aberto após 10, 30 ou mais de 50 anos. Na gastronomia, a combinação ideal é com carnes vermelhas e de caça, pratos com trufas e funghi porcini e queijos maturados.

As 4 etiquetas Biondi-Santi

Bolgheri DOC

Vinho tinto feito com uvas francesas produzidas na Província de Livorno, litoral da Toscana. Entre as mais usadas, Cabernet Souvignon, Cabernet Franc e Merlot, em menores quantidades Syrah, Petit Verdot e Sangiovese. São vinhos que passam por afinamento em barris de carvalho de 1 a 2 anos na versão Reserva, ideais para o envelhecimento. Acompanham pratos de carne vermelha e de caça.

Chianti Classico DOCG

Oficialmente o território produtor de vinho mais antigo do mundo, instituído em 1716 pelo Grão-Duque Cosimo III dos Médicis. Vinho tinto produzido com ao menos 80% de uva Sangiovese em uma área de cerca 70 mil hectares que se estende entre Florença e Siena, no coração da Toscana. No comércio encontramos 3 versões: Annata, Reserva e Gran Selezione, que se diferenciam no período de produção e afinamento em 12, 24 e 30 meses, respectivamente. Isto o torna um vinho versátil no momento de harmonizá-los com uma grande variedade de pratos da carne branca, com a versão Annata, à carnes de caça, na versão Gran Selezione.

Barolo DOCG

“O rei dos vinhos, o vinho dos reis”, assim é definido o Barolo, um vinho tinto produzido na área dos Langues, Região Piemonte, com 100% de uva Nebbiolo. O longo processo de vinificação que prevê ao menos 36 anos de afinamento (dos quais 18 em barril de madeira), o torna um vinho longevo, podendo ser guardado por décadas. Acompanha pratos de carne assada em forno ou brasa, carnes de caça, cordeiro, cabra, queijos fortes de longa maturação, chocolate amargo e marron glacé.

Barolo -www.instagram.com/langhedelbarolo/

Franciacorta DOCG

Este foi o primeiro espumante italiano a ganhar o selo DOCG em 1995. Coloca-se no mesmo patamar de qualidade ao lado do francês Champanhe e do Espanhol Cava. Produzido em uma área de cerca 200 km² próximo ao Lago d’Iseo, na Região da Lombardia, norte da Itália, com uvas principalmente Chardonnay e Pinot Noir. São necessários ao menos 25 meses para a versão mais simples entrar em comércio, enquanto que a versão mais elaborada, “Millesimato Riserva”, são necessários 67 meses!!!

Franciacorta Ca’ del Bosco – www.instagram.com/cadelbosco_official/

Prosecco DOC

É simplemente o vinho italiano mais vendido no mundo! Sua fama surgiu no pós-guerra, quando passaram a serem produzidos os “Proseccos Genéricos” fora da Itália, até mesmo no sul do Brasil! Para proteger o produto local, foi então criado o DOC. O Prosecco DOC é produzido com a uva Glera (min 85%) em uma grande área que se extende sobre quase toda e Região do Veneto (80%) e parte da Friulli Venezia Giulia (20%), no nordeste da Itália, e conta com mais de 8 mil produtores! Dentro da área do Prosecco DOC, se destacam duas zonas de produção histórica na Província de Treviso: Conegliano Valdobbiadene Prosecco DOCG e Colli Asolani Prosecco DOCG. É o espumante perfeito para o aperitivo (happy hour), popular em toda a Itália!

Prosecco Bisol – www.instagram.com/bisolprosecco/

>>> Leia também: “As melhores marcas de Prosecco para comprar no Brasil” por Isa Discacciati do Blog Itália per Amore

Lambrusco DOC

É um vinho tinto frizante muito conhecido e apreciado em todo o mundo pela sua leveza e facilidade de beber, ideal para iniciantes no mundo de Baco! Produzido principalmente na Região da Emilia-Romagna, na província de Modena: Lambrusco Salamino di Santa Croce DOC, Lambrusco Sorbara DOC e Lambrusco Grasparossa di Castelvecchio DOC. As três tipologias se diferenciam pelo tipo de uva lambrusco utilizada e área de produção.

Lambrusco di Sorbara Cantina Settecani – www.instagram.com/cantinasettecani/

Montepulciano d’Abruzzo DOC

Montepulciano é o nome da uva mais importante e produzida nas Regiões de Abruzzo e Marcas, centro da Itália, de frente para o Mar Adriático. É a uva base do Montepulciano d’Abruzzo DOC, produzido em quase metade do território de Abruzzo, e também do Montepulciano d’Abruzzo Colline Teramane DOCG, onde atinge o seu ápice mais expessivo. Não confunda com o vinho Nobile di Montepulciano DOCG, que é produzido em Montepulciano (Toscana) com a uva Prugnolo Gentile.

Montepulciano d’Abruzzo – Sciarr d’Alessio – www.instagram.com/sciarrdalesio/

Primitivo di Manduria DOC

Antigamente a videira Primitivo era considerada uma uva de corte, usada em pequenas quantidades na composição dos vinhos do norte. Por sorte a sua imagem na enologia itaiana foi requalificada e a Província de Taranto na Puglia iniciou a produção de um vinho 100% Primitivo (hoje, composição mínima de 85%). O resultado é um vinho rico, de muito corpo, ao mesmo tempo elegante.

Dica para transportar vinho

Se você pensa em aproveitar os preços mais vantajosos para comprar vinho na Itália e levar para o Brasil, é bom saber das regras aduaneiras brasileiras! Segundo o site da Receita Federal do Brasil, por pessoa é permitido entrar no país com até 12 litros (16 garrafas de 750ml) de bebidas alcóolicas que no entanto não supere os 500 dólares que é o limite de valor global.

Mala especial para o transporte de vinhos e garrafas Lazenne

A maneira mais segura de transportar seus vinhos é usando uma mala específica para o transporte de garrafas. Eu gostei muito das soluções da Lazenne, que oferece várias soluções que se adaptam ao seu estilo de viagem. Desde a última vez que fui ao Brasil tenho usado a mala VinGardeValise Hardshell que abriga até 12 garrafas de tamanhos e formas diferentes e com um sistema modular bem versátil que faz com que a mala possa ser usada para qualquer ocasião, não necessariamente para vinhos!

Deixe seu comentário

4 comentários

  1. Lea Fabriscomentou

    Sou apaixonada pela Itália e sigo você há tempo nas mídias sociais. Só faz minha paixão crescer.
    Estive uma única vez na regiao da Toscana, em 2014. Pena nso ter conhecido seu blog antes, senão teria pego varias dicas.
    Um abraço

    1. Oi, Lea!!! Fico muito feliz em saber que acompanha as redes sociais do Viva Toscana!!! 😀 <3 Obrigada pelo carinho! Bacione!

  2. Eliane Freirecomentou

    Achei incrível seu trabalho !! Parabens