Cortona – Mais que um Belo Cenário de Cinema

Cortona com certeza surgiu no roteiro de muita gente por causa do filme que a transformou famosa nos 4 cantos do mundo! Sob o Sol da Toscana foi gravado em 2002 e ainda inspira muita gente a vir passear pelas ruas e praças onde a atriz Diane Lane gravou as cenas interpretando a autora e protagonista do livro de Frances Mayes. Mas Cortona não é somente bonita como um cenário de filme. Sua história é muito antiga e seu legado artístico ainda hoje é muito valorizado. Vem comigo descobrir o que melhor Cortona tem a oferecer, além de suspiros românticos!

Palazzo Comunale (1236), Piazza della Repubblica, Cortona

Origem Etrusca

No século 5 a.C. Cortona era uma das mais importantes cidades da Etrúria! Antes da chegada e dominação dos romanos, a região que hoje conhecemos por Toscana era a Etruria, terra dos etruscos, formada por cidades estados independentes. Parte da muralha que ainda hoje circunda Cortona foi construída pelos etruscos no século 5 a.C. Depois da sua conquista por parte de Roma, foi perdendo importância e poder, tendo novamente um período de renascimento quando se tornou uma cidade independente no século 13.

Cortona é a sede da Accademia Etrusca, instituição fundada em 1737 para o estudo e valorização da história desta civilização. No Museu da Accademia Etrusca (Palazzo Casali, Piazza Signorelli), podemos admirar alguns objetos curiosos do período, como a Luminária Etrusca, maior exemplo de arte em bronze, ou a Tabula Cortonensis, um dos escritos em língua etrusca mais longos que exista.

Terra de Devoção

O principal edifício religioso de Cortona é a Catedral de Santa Maria Assunta, um edifício que tem origem no século 11, quando a igreja ainda não tinha o título de Catedral. Foi reformada durante 1400 por discípulos do arquiteto Giuliano da Sangalo. Internamente é muito singela e sóbria.

catedral-santa-maria-assunta
Catedral de Santa Maria Assunta

O Santuário de Santa Marguerita de Cortona é outro local de culto que vale uma visita. A santa franciscana, muito popular da Itália central, viveu em Cortona durante o século 13. Ela foi a responsável pela reconstrução da Igreja de San Basilio (sec. 11), destruída durante o ataque a Cortona de 1258, e que hoje recebe o seu nome pois abriga o corpo da Santa. Hoje pouco permanece da igreja original medieval, devido à reformas que modificaram o interno e fachada. No entanto, é de grande beleza arquitetonica!

Nos arredores de Cortona encontramos um dos locais de devoção  mais significativos para os franciscanos, o Eremo delle Celle. São Francisco de Assis chegou pela primeira vez em Cortona em 1211 e desde então retornou algumas vezes para retiro espiritual neste local de beleza extraordinária, onde a natureza “cavou” pequenas grutas no terreno íngrime em direção ao vale Valdichiana. Antes de sua morte, em 1226, São Franscisco passou aqui alguns meses onde esceveu o chamado “testamento espiritual”. O convento construído logo após a sua morte hoje é administrado pelos freis Cappuccini que acolhem pelegrinos. A visita é permitida com total respeito à um local de silêncio e devoção.

Terra de Artistas

Cortona é a terra natal de dois importantes nomes da história da arte italiana: Luca Signorelli em época Renascentista (1450-1523) e Pietro da Cortona de época Barroca (1596-1669). O primeiro é considerado um dos precursores de Michelangelo, devido à sua atenção ao estudo anatômico dos corpos. Os dois de fato se conheceram e tinham uma relação de amizade. Signorelli contribuiu na decoração da Capella Sistina, no Vaticano, com duas cenas da vida de Moiséis, mas sua obra prima encontra-se no Duomo de Orvieto, com o afresco do Juízo Final (Capela de San Brizio).

Piazza Signorelli, Cortona

Pietro da Cortona foi, ao lado de Bernini e Borromini, um dos principais arquitetos e pintores ao redor do Papa Urbano VIII durante a primeira metade de 1600. Ele progetou o Castello di Gandolfo, residência de veraneio dos papas. Em Florença é muito conhecido devido ao seu ciclo de afrescos nas salas da Estufa e dos Planetas, no Palazzo Pitti.

Mais recentemente, podemos citar outro famoso artista italiano, mas do cenário musical contemporâneo: Lorenzo Jovanotti! Na verdade ele nasceu em Roma, mas seus pais e família são de origem cortenese e ele durante sua vida sempre manteve esta forte ligação com a cidade toscana! Tanto que tem residência fixa no antigo centro histórico! Quem sabe você não o encontra caminhando pelas ruas ou tomando um café na praça?!

E a propósito de música…. a Fortezza di Girifalco, antiga fortaleza medieval de Cortona, durante os meses quentes do verão, oferece uma agenda variada de shows e eventos! Confira a programação deste ano no site oficial. Outro local de eventos que vale a pena conferir a programação é o Teatro Signorelli, no centro histórico de Cortona.

Como Chegar

Cortona fica na Província de Arezzo, Região Toscana, quase na fronteira com a Região Úmbria. É uma cidadezina que se encaixa bem numa viagem de carro em direção à Assis ou à Perugia.

Vista de Cortona para a Valdichiana e o Lago Trasimeno

Com saída de Florença:
– Carro: são cerca de 120Km (1h40), percorrendo a Autostrada A1 direção Roma.
– Trem Regionale Veloce direção Spoleto, dura cerca de 2 horas no total, pois a estação de trens de Cortona não fica no centro histórico e, portanto, é necessário pegar um ônibus que leve ao alto da colina.

Deixe seu comentário