Viver no Sul, Viver no Norte da Itália

A convidada deste mês para falar sobre “Vida na Itália” é a Patrícia, de Caxias do Sul (RS), que vive aqui desde 2010. A Patrícia teve a experiência de viver em duas realidades da Itália, em Florença (centro-norte) e em Tricase (extremo sul), e conta para a gente as diferenças, vantagens e desvantagens entre elas.

florenca-tricase
Tricase e Florença

Por Patricia Casara Costa

Depois de ter vivido 3 anos em Florença, cidade onde nasceu minha filha, nos mudamos para o sul de Salento que fica na região da Puglia, na ponta do salto da bota. A região é conhecida pelas praias de águas cristalinas e belíssimas paisagens. Mas quando chegamos aqui, encontramos muito mais que uma natureza maravilhosa.

Allan e Patricia
Allan e Patricia

O povo pugliese é acolhedor e aberto às amizades, muito parecido com o povo brasileiro e diferente dos fiorentinos que, do meu ponto de vista, são mais fechados. A cultura, a música e a dança (Pizzica), são passadas para as gerações mais novas, fortificando as raízes e mantendo as tradições. A maioria das pessoas comem o que plantam ou compram de agricultores locais. Verduras frescas e em abundância são a base da alimentação, sem falar no peixe fresco e frutos do mar, combinação perfeita com a “pasta” feita a mão.

Logo que cheguei, os preços mais baixos da alimentação e do aluguel me surpreenderam. Em Florença, por um apartamento de 90 metros quadrados, pagávamos 850 euros. Aqui, por um apartamento um pouco maior e novíssimo, pagamos 400 euros mensais! O difícil foi encontrar um local com calefação a gás metano!!! Sim… aqui eles usam um sistema a gás óleo que custa uma fortuna!! De qualquer maneira, o custo de vida é muito mais baixo.

tricase-02

Quando recebi a noticia da mudança, confesso que fiquei um pouco apreensiva, trocar a Toscana pelo Sul… será? E as escolas? O dia a dia? O que não esperava era encontrar esse lugar lindíssimo, de gente boa e batalhadora. Ao longo do tempo fiz amizade com pessoas “locais” que me mostraram esse espirito generoso do povo daqui. Na nossa cidade (Tricase) tem poucos estrangeiros, exemplo disso é que somos os únicos brasileiros, o que não acontece em Florença, mas isso se dá pela falta de trabalho na região. O Sul, por ser menos desenvolvido, sofre mais com o desemprego que atinge os italianos em geral.

Por um outro lado, o bar onde meu marido trabalha, Farmacia Balboa,  se tornou um local conhecido e badalado. A escolinha da minha filha oferece tudo que uma criança precisa para crescer bem! A média de criança por sala de aula é de 20 alunos, horário integral (das 8 às 15:30), almoço com menu revisado por uma nutricionista, alimentos orgânicos e seção bilíngue. Uma escola assim custaria no mínimo 450 euros em Florença, enquanto que aqui pago somente 80 euros.

tricase-01

Morando em uma cidade pequena e sem violência posso fazer quase tudo a pé. De carro as distâncias são curtas e o tráfego praticamente não existe, bem como o transporte publico, um ponto negativo daqui! Com a chegada do verão e o aumento do turismo, os horários de ônibus aumentam. Na cidade de Brindisi fica o aeroporto mais próximo (93,7km) com vôos domésticos e internacionais. A Ryanair (companhia aérea lowcost) possui vôos para vários lugares inclusive para o exterior. Dos pequenos “comunes” (cidadezinhas) existem linhas de trens para a cidade de Lecce de onde se parte para o resto da Itália.

Apesar das dificuldades econômicas que o Sul enfrenta, temos mais qualidade de vida agora, mas, com certeza, meus passeios pelo centro histórico de Florença e os almoços entre os amigos no Chianti serão sempre motivos de saudades!!! Sem falar nos vinhos!!!

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

24 comentários

  1. AvatarGilmar Bergamincomentou

    Bom dia.
    Chego na Itália dia 03 de outubro 2018. Pensando em morar no norte; província de Ferrara ou Rovigo. Vou rever meus conceitos após ter lido a matéria.

  2. Patrícia, tudo bem?
    Você ainda mora em Tricase? Como está a região sul com relação a imigrantes ilegais vindos da África, por exemplo? a região está sofrendo como em outras partes da Europa?

  3. Avatarclaudetecomentou

    quero morar na italia o que fazer

  4. AvatarLau Roberto Pereiracomentou

    Muito interessante e empolgante Patricia e Allan. Obrigado Babi sempre com matérias verdadeiras e animadoras.
    Gostaria muito de conhecer essa região onde eles estão com mais detalhes. Haveria possibilidade do e-mail deles. Obrigado

  5. AvatarAndrea Cecilia De Moraes Binacomentou

    Ciao! Em setembro vou para Italia e gostaria de saber a indicacao da escola onde a filha da Patricia estudou. Minha filha tem 4 anos. Grazie!

  6. Olá Babi, obrigado por compartilhar estas preciosas informações. Eu conquistei minha cittadinanza e pretendemos eu e minha mulher sair do Brasil, e para lugares assim, mais afastados, como no Sul da Italia, obrigado pelo site