O que você ainda não sabe sobre o David de Michelangelo

Recentemente descobri coisas muito interessantes sobre o David de Michelangelo, considerado pelos críticos de arte o ideal perfeito de beleza masculina. Pra começar, ele não foi simplesmente uma obra realizada ao acaso que depois foi colocada onde está. Ela foi encomendada para ser como é e com um propósito muito específico. Uma obra-prima do Renascimento italiano que merece sem dúvida um artigo todo sobre sua história e curiosidades!


Autorretrato Michelangelo

Talento não tem idade
Após seu retorno de Roma para a realização de sua primeira obra-prima, a Pietà, Michelangelo Buonarroti recebeu o desafio de esculpir o David quando havia apenas 26 anos! Antes dele, outros dois artistas – Agostino di Duccio e Bernardo Rossellino – haviam tentado iniciar a escultura do bloco apelidado de “Il Gigante“, devido às suas medidas grandiosas, com mais de 4 metros de altura. Iniciou os trabalhos em 1502 e levou 18 meses para esculpir o grande bloco de mármore, sem a ajuda de ninguém e escondido de todos para que ninguém o visse antes de pronto.


Instalação de 2010 mostrando o posicionamento original do David sobre contraforte do Duomo
A disputa pelo melhor lugar
A posição original da estátua seria sobre um dos contrafortes do Duomo de Santa Maria dei Fiori, como mostra a imagem de uma instalação de 2010. No entanto o resultado final da obra foi tão excepcional que uma comissão foi montada para discutir o destino da obra. Faziam parte desta comissão nomes como Leonardo da Vinci – que defendia o posicionamento da obra sobre a Loggia da Piazza della Signoria – e Boticelli – que defendia seu posicionamento original. 

Fachada do Palazzo Vecchio com réplica do David em mármore.
Da Vinci e Boticelli rejeitados
A decisão do conselho foi pela colocação proposta pelo Gonfaloniere da Justiça Pier Soderini. Firenze atravessava um momento de reforma política, quando a Família Medici saía do poder à favor da instauração de uma República. O David assim, tem seu valor simbólico transferido de um contexto religioso para um civil. Ele representa o “Bom” que armado somente de uma funda e na fé em Deus, consegue prevalecer sobre o forte e “Mau”, imagem que poderia ser facilmente comparada a de um bom governo que garante a liberdade e o bem comum, protegido pelo divino. Em poucas palavras, David é o símbolo da vitória da democracia sobre a tirania dos Medici. Ao lado de David, era prevista a estátua que representasse Hércules, simbolizando a força física e deveria também ser realizada por Michelangelo, mas por fim foi esculpida por Baccio Bandinelli.

Giuditta e Oloferne, Donatello (1453-57) – Exposta na Sala dei Gigli, Palazzo Vecchio


Como transportar o gigante de 4 metros?
A transferência da estátua para a Piazza della Signoria levou 4 dias e foi realizada por 40 homens. Durante uma das noites, um grupo de homens fiéis aos Medici apedrejaram a estátua que fortunadamente não foi gravemente danificada. Michelangelo deu os toques finais em sua obra-prima já na sua posição final que tomou lugar de “La Giuditta” uma estátua em bronze de Donatello de menores dimensões transferida sobre a Loggia. O David foi finalmente exposto para a curiosa população fiorentina no dia 24 de Junho de 1503, dia de San Giovanni, o padroeiro da cidade.

David Original exposto na Galleria dell’Accademia, Firenze
A Originalidade de Michelangelo
Michelangelo decide representar o herói bíblico diferentemente de sua iconografia usual que mostra David de traços jovens e até mesmo afeminados, após a batalha carregando cabeça de Golias. O Mestre apresenta-o como um jovem homem momentos antes de enfrentar o monstro: os músculos estão rígidos, na mão direita segura a pedra com a qual vencerá o inimigo enquanto na mão esquerda, sobre o ombro, segura a funda. O olhar é confiante e concentrado direcionado ao inimigo, com as sobrancelhas franzidas, as narinas dilatadas e lábios que revelam certo desprezo por Golias.

Cabeça grande, pênis pequeno?!
Se observarmos bem, o David apresenta a cabeça e as mãos muito grandes. O que a princípio pode parecer uma falha, na verdade é mais uma prova da maestrosidade de Michelangelo. O David foi realizado pensando que o observador o visse de baixo. Logo, as mãos e cabeça estariam proporcionais segundo este o angulo de visão. Há também uma explicação filosófica que ressalta a cabeça como representante da razão e as mãos o meio pelas quais a razão se exprime. Em contrapartida, o pênis – alvo de tantos gadgets e souvinirs da cidade – é pequeníssimo! Mas isto também tem uma explicação acadêmica. Segundo os critérios estético da arte grega, um pênis grande (ou simplesmente de dimensões normais), não era considerado elegante, mas sim algo desprezível e horrível! Os escravos, estrangeiros e monstros em corpo de homem eram representados com pênis enormes.

Réplica em bronze colocada no Piazzale Michelangelo, Firenze
Aventuras e Desaventuras de David ao longo dos séculos:
1512 – Um raio atingiu sua base provocando pequenas fissuras na altura dos tornozelos, mas nada grave.
1527 – Durante tumultos na cidade, um grupo de republicanos jogou do alto do Palazzo Vecchio objetos que caíram sobre o braço esquerdo do David, fragmentando-o em 3 partes que foram restauradas, mas que permanecem visíveis.
1846 – Foi feita a cópia em bronze do David a ser colocado no Piazzale Michelangelo
1872 – O David é transferido para a Accademia
1910 – A cópia em mármore do David é colocada em frente ao Palazzo Vecchio
1991 – A estátua sofre um atentado, quando um louco martela o dedo do seu pé esquerdo

Curiosidade: Leonardo da Vinci não era muito fã dos excessos anatômicos que fazem parte do estilo de Michelangelo. Em um croqui que realizou de David, vemos claramente a ênfase dos músculos, muito contrário ao seu estilo suave de representação da figura humana.

Deixe seu comentário

31 comentários

  1. Joselice de Oliveira Sousa Nunescomentou

    Gostei das informações.

  2. Ruymar Moraescomentou

    O texto é esclarecedor. Estou certo de que muitos ao redor do mundo terão grande crescimento ao ter esta leitura. Muito bom.

    1. Oi, Ruymar! Fico feliz em saber que curtiu o texto! Obrigda por deixar o seu comentário!!!

  3. Lucia eguchicomentou

    Uma viagem inesquecível onde pude conhecer essas maravilhas..

  4. Elaine Cristinacomentou

    Tudo que precisava saber sobre a obra de Davi foi esclarecido ! Obrigada por tanta informação . Bjos

  5. soniacomentou

    exelente trabalho. estou gostando muito de ver seu artigo sobre a toscana, bem com as curiosidades.

    1. Oi, Sonia! Que bacana, obrigada! Fico feliz pela sua visita e comentário! 🙂