Dante e Beatriz: o amor na Idade Média

O amor na Idade Média era visto em um modo muito diferente do que hoje interpretamos este sentimento. Existia uma grande discussão sobre o tema. Por vezes não era visto como algo positivo, pois tirava a razão e o raciocínio lógico… Bem, na verdade esta é a mais pura verdade! 😅 haha! Mas naquela época a perda do controle causada pelo amor era algo negativo a ser evitado pelos membros de famílias importantes.

Raffaele Giannetti

Além do mais, o amor e o casamento eram duas coisas bem distintas. Ninguém pretendia ou sonhava se casar com o amado ou a amada. Esta é uma visão romântica bem mais tarda, do século 19 em diante. Todos antes disto sabiam que o casamento seria decidido pela família, como um contrato, e que o amor, com sorte, seria construído no tempo.

Pensando nas diversas histórias de amor que se passaram na Toscana, resolvi contar para você sobre o grande amor de Dante: Beatriz. 2021 é um ano dedicado à ele, pois são 700 anos de morte do grande poeta!

Beatriz Portinari

Beatriz era filha de Fulcro Portinari, um comerciante rico e muito ativo na política de Florença. Por três vezes foi “priore” de Florença, um dos mais altos cargos políticos. A família Alighieri morava no mesmo bairro dos Portinari, Porta San Piero. Também eram ricos, mas não tanto conhecidos e importantes como a família de Beatriz.

O Primeiro Encontro

Dante descreve na “Vita Nuova” o primeiro encontro dele com Beatriz. Foi durante a festa de “Calendimaggio”, uma festa popular feita no dia 1 de maio para comemorar a chegada da primavera e verão. Para esta ocasião, os bairros de Florença (na época seis), organizavam festas com música e comida.

Raffaello Sorbi

Dante e Beatriz tinham na época somente 9 e 8 anos, respectivamente. Dante a descreve em um vestido vermelho sangue. Em eventos públicos, homens e mulheres frequentavam ambientes separados. Somente as crianças podiam brincar juntas.

Tutto qua! Bastou esta visão para fazer Dante se apaixonar por Beatriz e nunca mais esquecê-la! Provavelmente eles não se viram mais por muitos anos. Naquela época, quando as meninas entravam na puberdade eram mantidas o mais possível dentro de casa até o casamento.

O Segundo Encontro

O segundo encontro entre Dante e Beatriz aconteceu em uma situação muito diferente: Beatriz já tinha 17 anos e era casada com o cavaleiro Simone de’ Bardi. Dante, aos 18 anos, ainda estava longe de se casar.

Os homens se casavam por volta dos 30 anos, com meninas de cerca 15 anos. Assim foi para Dante. Aos 31 anos se casou com Gemma Donati, com quem teve 4 filhos. Sabe-se muito pouco sobre ela. Não há alguma menção de Gemma nos textos de Dante.

Beatriz na literatura de Dante

Beatriz, ao contrário, aparece em diversas obras, inclusive na Divina Comédia. É ela a conduzir Dante pela sua visita ao Paraíso. Quando ele escreveu a sua obra-prima, Beatriz já havia falecido, muito jovem, aos 24 anos, provavelmente durante o parto do primeiro filho.

Gabriel Rossetti

Quando vier à Florença não deixe de visitar a sua sepultura. Fica na Chiesa di Santa Margherita (também conhecida por Chiesa di Dante), bem próxima à Casa e Museu de Dante. É costume deixar mensagens de amor para ela em uma cesta sobre seu túmulo.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.