As Obras Primas do Palazzo Medici Riccardi

O Palazzo Medici Riccardi foi a primeira residência da grandiosa Familia Medici! Hoje o palácio divide seu uso entre museu e dependências da prefeitura de Florença. O palácio é conhecido pelos afrescos da capela de Benozzo Gozzoli, pela maravilhosa sala barroca de Luca Giordano e a obra-prima da Madonna col Bambino de Filippo Lippi, além dos espaços expositivos para mostras temporárias de arte moderna e contemporânea.

A construção do primeiro palácio dos Medici foi encomendada ao jovem arquiteto Michelozzo. Antes disto, Bruneleschi teria feito um primeiro projeto muito grandioso que no entanto não agradou a família que queria manter a aparência discreta. O edifício apresenta características arquitetônicas entre o estilo medieval e renascentista, e trouxe diversas inovações para a época como o primeiro “banco de rua” (na esquina), e as “janelas ajoelhadas” de Michelangelo que foi uma alteração sucessiva.

À esquerda: detalhe do “banco de rua” e “janelas ajoelhadas”

 No início do século XVI, com Cosimo I de’ Medici a residência da Família se transfere ao Palazzo della Signoria (atual Palazzo Vecchio), e em seguida para o Palazzo Pitti. Por muitos anos o antigo palácio é utilizado por membros menos importantes da família, até que em 1659 a Família Medici decide vender o palácio à família amiga dos Riccardi. Estes ampliam, ou melhor, duplicam o tamanho original do palácio, mantendo no entanto o mesmo estilo da fachada.

Brasão da Família Medici

Hoje parte do palácio é visitável e entre as suas principais atrações estão:

Cappella di Benozzo Gozzoli
O ciclo de afrescos realizados por Benozzo Gozzoli deveria complementar a obra já existente de Filippo Lippi de Adorazione al Bambino e representam a passagem da bíblia da cavalgada dos três reis magos até Jerusalém. Interessante reparar que as vestimentas dos reis magos e da procissão são típicas da época fiorentina e que o artista decide de representar alguns membros da família Medici, como Lorenzo o Magnifico, que é o Rei Gaspar montado no cavalo branco, seguido pelo seu avô, Cosimo il Vecchio, seu filho Piero e irmão Giuliano.

Cappella di Benozzo Gozzoli – La Cavalcata dei Magi – fonte: marcelproust.it

La Madonna col Bambino di Filippo Lippi
Conto uma curiosidade sobre o artista renascentista: Filippo Lippi ainda muito pequeno e órfão de mãe foi mandado junto do irmão à um convento onde cresceu até tornar-se um frade. No convento também nasceu sua vocação e talento artístico. Buscando uma inspiração para finalizar o rosto de uma Madonna, foi à cidade vizinha de Prato onde vivia uma freira famosa pela sua beleza. Filippo e Lucrezia se apaixonam, abandonam seus votos e fogem juntos, acontecimento que gerou grandes discussões na época. Flippo Lippi se inspira na face ao mesmo tempo humana e divina da sua musa Lucrezia para pintar as suas Madonnas. Com o intervenção da Família Medici, o casal consegue ter seus votos cancelados pelo Papa e se casam. Da união nasce 2 filhos sendo um deles Filippino Lippi que herdou o talento do pai e seguiu com a produção artística. Dizem as más línguas que Filippo Lippi poderia ser também o pai do seu pupilo Sandro Botticelli… uma fofoca da época… será?


Sala Luca Giordano
O salão leva o nome do pintor que a decorou no fim do século XVII, quando o palácio era ocupado pela Família Riccardi. É um dos melhores e poucos exemplos de estilo barroco da cidade que tem prevalência pelo estilo renascentista. Os afrescos do teto falam sobre as 4 idades do homem – Infância, Juventude, Maturidade, Velhice – associadas às 4 virtudes cardeais – Temperança, Fortaleza, Prudência, Justiça – e a exaltação da Família Medici no centro do teto.

Sala Luca Giordano
Recentemente postei um artigo sobre uma exposição temporária de arte contemporânea do artista plástico italiano Paolo Staccioli. Fiquei encantada com suas obras em cerâmica e bronze! Para ver o artigo, clique AQUI.

Deixe seu comentário