Expo Milão 2015 – O que ver em 1 Dia

A Expo é uma exposição universal com a participação de mais de 140 países que acontece de 1 de Maio à 31 de Outubro em Milão, com o tema “Nutrir o Planeta, Energia para a Vida”. Eu visitei a feira por 3 dias, aproveitando da primeira à última hora de abertura, e pude visitar (quase) tudo! Neste artigo da série Expo2015 apresento os 13 melhores pavilhões e atrações da feira que fica aberta por 13 horas (das 10:00 às 23:00). Estão ordenados de acordo com o percurso de visita:

10h – Brasil

Um grupo de crianças passou por mim em fila, gritando em coro à sua professora: “Brasile! Brasile! Brasile!” Talvez eu seja sugestionada, mas este foi o nome de país que mais ouvi durante os 3 dias de feira! Sem dúvida o preferido em absoluto pelas crianças, mas acho que também pelos adultos! Nenhum outro país fez algo parecido: uma rede suspensa que cria um percurso irregular sobre um jardim de plantas típicas brasileiras. Por mais que os monitores insistissem em gritar “non saltare!”, nem crianças nem adultos conseguiam resistir à vontade de sair pulando!

No andar de baixo, uma exposição de arte moderna e contemporânea, uma loja de produtos típicos do artesanato brasileiro (ou nem tanto…) e o bar que vendia caipirinha, suco natural, pão de queijo e sanduíches de picanha ou linguiça. Estava louca de vontade de matar as saudades da comidinha brasileira, e além de encontrar poucas e banais opções, tudo era extremamente caro! Inclusive o artesanato tinha preços absurdos, como por exemplo um cesto pequeno em capim dourado por 200 euros! Oi?!? 😛


11h – Korea

A Korea foi um dos poucos pavilhões a abordar o tema obesidade X subnutrição. Na primeira sala eles apresentam o problema com a pergunta “Como nutrir o mundo?” com três instalações de arte chocantes.

À partir da segunda sala eles apresentam como solução seguir a tradição alimentar coreana baseada em equilíbrio, fermentação e conservação. Usam ferramentas super tecnológicas, com efeitos visuais e sonoros. Com certeza um dos 3 melhores pavilhões da Expo na minha opinião!


12h – Azerbaidjão
Muitos países tentaram criar um percurso expositivo interativo, utilizando tecnologia de alto nível, telas touch-screen, hologramas, jogos, mas o que melhor atingiu este objetivo foi o Azerbaidjão! Com gráficos atrativos visualmente e de interação intuitiva que agradava tanto adultos quanto crianças. O Azerbaidjão mostrou a sua biodiversidade e tradição alimentar.

13h – Reino Unido
Como dizia o arquiteto alemão Mies Van Der Rohe, “menos é mais”. Enquanto os países se esforçaram a dar o maior número de informações possíveis sobre temas diferentes, o Reino Unido concentrou sua temática unicamente nas abelhas.

Um labirinto através de um alto jardim de flores do campo conduzem à esfera central, a “colmeia”, onde um jogo de luzes mostra ao vivo a concentração, o movimento e o som das abelhas que vivem em Nottingham.

A vegetação alta quer dar a sensação de ser uma abelha que voa pelas flores do campo.

Ao observar o jardim do Reino Unido do pavilhão ao lado, percebe-se que o desenho forma o desenho do favo de mel. 


14h – Holanda

Parece a entrada de um parque de diversões, de uma festa, de uma feira de food truck, ou tudo isso junto! Nada de pavilhão grandioso, de arquitetura moderna e complicada, nada de construções pré-moldadas fáceis de depois desmontar, aqui na Holanda tudo se resume à mini-vãs de comidinhas e espaços ao aberto onde comer e descansar!

 A cerveja mais barata da Expo (chop Heiniken 2,50 euros) fica no barzinho do Carrossel, escondido atrás da sala de espelhos!

Participei de uma degustação de comidas estranhas: algas, polem, alface com gosto de ostra, flor, bixinho-estranho, e uma tal de ABC Herb, o grand-finale da degustação que provoca uma sensação anestésica muito estranha na boca!

Provando a ABC Herb….

Um dos mais agitados pavilhões da noite, com palco e Dj! Passe por aqui antes de ir embora da Expo! Mas lembre-se que o último trem durante a semana é às 0:10 e nos fins-de-semana às 00:40.


15h – França

Assim como a Korea, a França também apresentou o problema da obesidade X má nutrição e a importância da diversidade alimentar nas refeições, mostrando que quantidade não significa qualidade.

Em um breve vídeo mostrou que a população francesa é uma das menos obesas entre os países desenvolvidos e que em 2010 a refeição francesa foi nomeada patrimônio cultural pela Unesco.

Na saída do pavilhão tinha uma padaria com cheirinho de pão francês quentinho! Que delícia! Não resisti!

Também tinha um food truck com degustação do queijo cremoso “brillat-savarin” com ervas aromáticas, salsa de tomate e amêndoas torradas. Morri! Coisa boa!

16h – Supermercado do Futuro
Ter todas as informações sobre um produto somente apontando pra ele? Aqui é possível! Sobre cada umas das prateleiras tem um painel digital com o preço de cada produto. Ao simplesmente indicar com o dedo um deles, abre-se no painel uma janela com informações nutricionais, origem do produto, fabricação, impacto ambiental, entre outras informações! Show!

17h – Chile
O que mais gostei dente pavilhão foi de terem conseguido de verdade te transportar para outro lugar, para as diferentes paisagens do Chile!

Em uma sala eram projetados 8 imagens diferentes com um personagem local. Ao se posicionar exatamente em frente à imagem, é possível escutar o som ambiente daquele lugar.

As salas seguintes mostraram muita tecnologia!

18h – Alemanha
Era esperado que o pavilhão alemão deveria ser incrível e eles não decepcionaram nem um pouco! É possível visitar o pavilhão por dois percursos: o externo, pela cobertura com jardins, e o interno que tem uma das maiores filas da feira, cerca de 45 minutos.

A primeira sala foi a que mais gostei. Telões em círculo mostram diferentes produtores de alimentos da Alemanha sentados à mesa para comer o que produzem. Em um certo momento eles se interagem entre si, trocando suas especialidades culinárias, e a sensação era de estar à mesa com eles! Nas salas seguintes uma série de joguinhos e brinquedos educativos interativos pra criançada.

A última sala nos reserva um mini show de música. Externamente também tem um palco e arquibancada onde acontecem diversas apresentações, não só de música. Confira a programação.

19h – Turquia

Depois de ter que pegar tantas filas para entrar em pavilhões, começo a adorar esses países que optarão por uma solução mais fruída, comunicando-se com o externo pelos 4 lados.

O pavilhão da Turquia é um percurso aberto, com ilhas mostrando suas tradições, que termina em uma grande praça com mesas, bancos, cadeiras, um gazebo, onde degustar uma das propostas de gastronomia do país!

No quiosque no fim do pavilhão fazem degustação de café e doces turcos. Muito bom! 🙂

20h – Japão
Nota mil! Acho que foi o único pavilhão em que todos os monitores eram de fato japoneses que recebiam à todos com muita simpatia e aquele sotaque especial! 🙂

A estrutura toda em madeira era incrível, realizada somente com encaixe. Durante a longa fila de espera (de 30 min à 1h30) não tinha quem não resistisse a mexer com as traves de madeira que produziam diversos sons.

A segunda sala é a mais incrível, com a reprodução de um jardim feito de telas onde eram projetadas imagens. Efeito maravilhoso!

O grand-finale da visita é o restaurante do futuro. Um ambiente circular que acomoda 50 pessoas sentadas à uma mesa virtual. Dois apresentadores nos mostram a tradição culinária japonesa através de vídeos interativos que aparecem nos televisores touch-screen que cada um tem à sua frente! A apresentação termina com uma musical.

Depois de ver todas as delícias japonesas virtualmente, ainda bem que um restaurante de verdade nos espera do lado de fora para matar a vontade!

21h – Marrocos
O percurso expositivo foi dividido pelas diferentes regiões do país – mar – centro – deserto do sul – e sua produção alimentar.

Conseguiram recriar perfeitamente o efeito do deserto com a iluminação e ar quente!

A loja era uma das melhores! Meninas… vários produtos com óleo de argan! 😀

Externamente, um lindo jardim, um dos mais bonitos da feira, com espécies típicas do Marrocos.

22h – Árvore da Vida
Termine o seu dia de visita à Expo assistindo ao incrível e emocionante show de luzes e música da Árvore da Vida!

Já foi publicado aqui no Viva Toscana um artigo com dicas para quem planeja visitar a Expo, confira aqui.

Deixe seu comentário

6 comentários

  1. Amei seu post, super completinho, valeu por compartilhar sua experiência!
    Como só pretendo ir por um dia completo, estava justamente procurando saber quais os pavilhões imperdíveis. Achei tudo aqui e vou usar como referencia para a nossa visita. 😉

    Uma perguntinha: notou se existe alguma preferencia de entrada para familias com bebês pequenos (até 2 anos)? Estaremos com nosso baby, e o que sei é que existe uma área kids e tb o trenzinho gratuito para se deslocar lá dentro, vc chegou a utilizar?
    Obrigada!

  2. Outra coisa: vc sugere mais ou menos 1h por pavilhão… Neste tempo, e considerando a fila para entrar em cada um, dá tempo de ver dentro e fora com calma ou tudo meio corrido para otimizar mesmo?

    E o pavilhão da Itália, a anfitriã da expo, não chamou sua atencão?
    Penso em incluir tb algum dos emirados arábes, ou Tailândia, que já fui e adorei o país.

    PS: amei as fotos

  3. Oi, Simone! Eu também fiquei sabendo desse trenzinho, que leva as pessoas para a saida no momento de fehamento da feira, mas eu não o vi! E teria sido muito comodo mesmo… 😛 Sobre a preferência na fila, eu não vi nada do tipo, infelizmente…

  4. Oi, Simone! Dá pra ver tudo com calma, sim, pois alguns destes pavilhões não tem fila para entrar, como Turquia, Holanda e Supermercado do Futuro, outros tem uma fila pequena, como Azerbaijan e Chile. Os que tem mais fila são Japão, Alemanha, Brasil.
    O pavilhão da Itália qnd eu fui não estava ainda 100% pronto, muitas salas estavam fechadas. Foi a fila mais longa e eu achei que não valeu a pena… Vi outras pessoas, inclusive italianos, meio desiludidos, por isso não inclui na lista.
    O pavilhão da Thailandia é bem legal tmb. A estrutura arquitetonica é linda, a primeira apresentação é bem legal, todos empolgados, aplausos, mas dai em diante vira tipo publicidade politica do governo… As pessoas saíram meio de saco cheio…
    Se você puder, te aconselho visitar a feira em 2 dias, pois é muito legal tudo, até mesmo esses que não são tão legais… Rs! Outros pavilhões legais são Russia, China, Slow Food, Bahrain, Espanha, Irã, polônia (de noite)…
    Abraços e boa viagem!

  5. Bom saber! Novas dicas anotadas, mais uma vez obrigada!