5 Motivos para Aderir ao Slow Travel

Para quem vem de um país grande como o Brasil, acostumados com distâncias em centenas de quilômetros, a Itália parece minúscula, não é mesmo? E de fato é! A superfície da Itália, cerca de 300 mil Km², é bem menor do que muitos estados brasileiros! Esta enorme, gigantesca diferença de escala muitas vezes leva o turista a subestimar os quilômetros a serem percorridos entre as cidades e, por consequência, saturar a sua programação do dia.

Pienza 34

O resultado disto pode ser frustrante, estressante e cansativo, tudo aquilo que não queremos nas nossas férias, não é mesmo? Há muito tempo queria abordar este assunto aqui no Viva Toscana, pois recebo mensagens sobre roteiros impossíveis de serem realizados. Além disso, a maioria das reportagens que leio em revistas e blogs especializados, sem falar das propostas dos operadores turísticos, sugerem roteiros com uma programação extremamente intensa!

O “Slow Travel” surge exatamente para ir contra esta corrente de massificação comprimida. “Viajar Lento” significa passar por lugares menos conhecidos, valorizar o ambiente que te circunda, estar atento aos detalhes, entrar em contato com a natureza, a paisagem e as pessoas. Além do mais….

1. O melhor jeito de conhecer uma cidade é se perder

Quando nos perdemos em uma cidade, encontramos outra. Sim, pois saímos por um momento daquele trajeto turístico que todo mundo faz e acabamos por conhecer a cidade real, àquela do dia-a-dia. Se você tiver pouco tempo, vai ser estressante, vai encarar o imprevisto como uma “perda-de-tempo”. Caso contrário, terá a chance de viver e conhecer melhor a essência do lugar e das pessoas.

2. Férias servem para descansar

Levamos um estilo de vida frenético que exige certos padrões e esquecemos que férias servem (entre outras coisas), para quebrar este ciclo. Fazer e nos permitir coisas que não faríamos normalmente no nosso dia-a-dia. Muita gente leva na bagagem a pressa e a euforia que o cotidiano de trabalho nos impõe, principalmente nas grandes cidades. “Tem que ir”, “tem que conhecer”, “não vai dar tempo”, “vamos logo”… são frases que você também vai continuar repetindo durante a sua viagem se a programação for errada.

3. O dinheiro mais bem gasto é com viagem

Bens materiais podem quebrar, serem roubados ou perdidos, enquanto que as lembranças e experiências permanecem. Por isto, eu encaro as minhas viagens como um investimento em mim mesma. Tudo tem seu custo/benefício, por exemplo: não vou pagar um bilhete bate-e-volta de trem para somente ver uma cidade, se sei que precisaria de mais dias. Prefiro conhecer bem a cidade onde me encontro no momento e numa próxima oportunidade conhecer bem a outra cidade. Não vou entrar em um museu se não tiver um guia (pessoa ou livro) que me oriente ou se não tiver tempo suficiente para visitá-lo com calma.

4. Curtir o momento

Sentar numa cafeteria, em um bar ou num banco de parque e observar o movimento, ler um livro, conversar. Ter um momento de contemplação, experimentar o drink ou a cerveja da cidade, o doce típico, descansar da caminhada, sem pressa de ir para lugar algum. Tudo isso faz parte do turismo!

5. Ver é diferente de Conhecer

Tem quem volta de viagem com uma lista enorme de cidades que “conheceu” nos seus 15 dias de férias, mas ao rever as centenas de fotos que fez no iphone não se lembra nem onde estava, porque “foram tantos lugares!”. Para conhecer de fato uma cidade a gente precisa de tempo. Tempo para observar, sentir, perceber o ambiente ao seu redor, antes de levantar a máquina fotográfica (ou celular) e ir clicando.
Espero que ao retornar da sua viagem você traga na bagagem mais do que fotos e presentes, experiências e emoções! <3

Deixe seu comentário

16 comentários

  1. Sandra Matoscomentou

    Que post maravilhoso querida. Adorei! Bacios

    1. Obrigada, Sandra! Legal te ver por aqui também! Baci! Obrigada pela visita! <3

  2. Tania Caetanocomentou

    Conheci algumas cidades da Itália
    Mas muito pouco tempo, gostaria de ir para ficar , passear e estudar a língua!

  3. Lauracomentou

    Adorei o post. Concordo em grau, numero e gênero. Tive oportunidade de conhecer alguns lugares na Europa, mas tudo tão rápido que nem lembro onde foi, quando vejo hoje as fotos. Estive em Florença por apenas dois dias, e garanto que não foi suficiente, só serviu para me apaixonar e querer voltar. Agora este ano, irei. Sozinha, e passarei 10 dias inteirinhos aí, me perdendo pelas ruas, museus, cores e sabores.

    1. Oi, Laura!!! Que legal ter seu depoimento! Obrigada! 🙂 Ainda bem que desta vez vai ficar 10 dias em Florença! Mas cuidado que vicia, heim!!! Na próxima vez vc vai querer ficar um mês e depois morar aqui! :’D haha! Bjos!!! :*

  4. maria rita lima beararecomentou

    Oiee. .. meu melhor investimento é com viagens, sem dúvidas! !! Estou indo pela primeira vez à Itália em abril e além de nutra cidadês, ficarei em Florença por 4 noites. Adoro deu site… Um abraço

    1. Que legal, Maria Rita! Quatro dias em Florença é muito bom! Vai dar para visitar museus, palácios e igrejas! Parabéns! Vc vai amar! 😉 Obrigada pelo recadinho! Baci <3

  5. Estive no Terra Madre/Slow Food em Turim e participei da capacitação sobre o slow travel. Depois passei alguns dias na Toscana (Rignano e Florença) Estou me especializando para testar os primeiros experimentos slow travel no Brasil na Bahia.

  6. Daniele Galerianocomentou

    Adorei este post, Babi! É exatamente o que penso e o que espero da nossa próxima viagem. Estamos contando os minutos para ir à Florença. Agora falta pouco! Bjs e até lá!

    1. Oi, Daniele! Que bom que tem quem pense como eu! Obrigada por deixar seu comentário! Bjos e boa viagem!

  7. Diego Lealcomentou

    Oi Babi, adorei seu blog, muito comunicativo, estou indo morar na Itália com minha esposa e filho de 2 anos, em Pavia.

  8. Tatiane Amaralcomentou

    É exatamente o que penso! E eu ainda acrescentaria: tire menos fotos!!!!!!

    As pessoas só pensam nisso, em tirar fotos pra mostrar pros outros, pra postar, registrar! Nada como a nossa memória e mais importante, nossa memória afetiva. Tudo que a gente sente, é gravado na memória pra sempre.

    Minhas viagens costuma ter poucas fotos……..porque não estamos preocupados com isso! Quando o passeio está incrível e você está curtindo, nem lembra de tirar foto. Quando eu olho minhas fotos, lembro de cada momento, lembro de quando tirei a foto!

    1. Bem lembrado, Tatiane!!! Quantas pessoas levantam a máquina fotográfica antes mesmo de ver, olhar, observar o que possuem diante de si! É preciso um momento de reflexão… Bjos e obrigada pela visita o por deixar a sua opinião. 😉

  9. Tô nessa há muito tempo.longos cafés e papos.No Brasil e fora dele! Nada de 15lugares.Menos…e lembrados.vivos na memória. Experiências