Fantasmas em Firenze

Em uma cidade com séculos de história como Firenze não poderiam faltar as assustadoras lendas e histórias de fantasmas que assombram antigos palácios e jardins! Buona notte delle streghe a tutti quanti!
Baldaccio d’Anghiari, o fantasma do Palazzo Vecchio

Baldo di Piero Bruni, mais conhecido como Baldaccio de Anghiari, nasceu no inicio do seculo XV, na cidade de Arezzo. Definido pelo escritor Niccolò Machiavelli como “um excelente homem de guerra”, Baldaccio entrou para a história não só por seus feitos heroicos em combate, mas também como o fantasma que, ainda hoje, está entre as paredes do Palazzo Vecchio…

Baldaccio foi assassinado em 1441, esfaqueado até a morte pelo secretário da justiça Bartolomeo Orlandini. Segundo relatos da época, Orlandini queria vingar os ataques verbais insultuosos de Baldaccio acusado-o de ser um homem mau e corrupto. Não contente com a morte do adversário, o cadáver foi jogado para fora da janela e por fim decapitado na Piazza della Signoria.
Desde então, o fantasma de Baldaccio continua a vagar pelas salas do Palazzo Vecchio, à espera de que a justiça seja feita e sua inocência seja finalmente provada.
Villa Carmine, a residência medicea infestada
Em Calenzano, na Villa Medicea de San Donato, mais conhecida como Villa Carmine, dizem que uma alma penada entre o jardim da casa abandonada. É o espírito da jovem esposa de Carlo de Medice, filho de Cosimo il Vecchio.
Segundo a lenda, Carlo foi forçado pelo poderoso pai a envenenar sua mulher, com quem se casou ainda jovem. Desde então, a sua mulher nunca mais abandonou este lugar assustador, cena de um outro ato violento em época moderna.
O último proprietário da fazenda, o comandante suíço Adolfo Carmine, morreu aqui no final da Segunda Guerra Mundial durante um bombardeio alemão, deixando toda a propriedade à Academia Florentina. Mas parece que seu espírito também não quer deixar a bela propriedade.
Ginevra degli Amieri, sepultada viva

Ginevra foi uma bela e rica florentina, que viveu durante o século XIVe inspirou alguns contos de uma famosa obra de Leopoldo Marenco.
Apesar do amor que sentia por Antonio Rondinelli, Genebra foi forçada a casar-se com Francesco Agolanti, em uma união estratégica de duas das mais poderosas famílias da cidade.
Infelizmente, com pouco tempo de matrimonio Ginevra foi vítima da peste e declarada morta. Su funeral foi no Duomo de Firenze. 
No entanto, diz a lenda que era um caso raro de morte aparente. Quando Ginevra finalmente acordou, usando os véus que haviam sido usados no seu funeral, deixou a igreja rumo ao seu esposo e familiares que no enteando acreditaram estar de frente à um fantasma. Ginevra decidiu então procurar seu verdadeiro amado que, diferentemente dos pais e marido, à recebeu de braços abertos, ajudando-a a se erguer novamente.
Mais tarde, as autoridades eclesiásticas consideraram o seu caso um milagre e que a negação do marido havia definitivamente interrompido a sua união. Ginevra pode finalmente se casar com seu amado Rondinelli que vivia na Via del Campanile, próximo ao Duomo, que foi por muito tempo chamada de Via della Morte.

Deixe seu comentário